domingo, 27 de agosto de 2017

Voto evangélico e a mudança para o sistema distrital misto


.
Voto Evangélico
Por: João Cruzué

Sempre que uma pauta negativa fustiga os maiores políticos do Brasil, um balão de ensaio é lançado na mídia. Se colar, colou. Este é meu entendimento. Dilma tentou isso, há uns dois anos e agora, quando a temperatura da chapa esquentou muito, o assunto requentado da "reforma política" está aí tomando conta da pauta. Se mudar alguma coisa, embora a chance seja mínima, as mudanças podem prejudicar a eleição de candidatos evangélicos.

O fator decisivo para uma eventual mudança é o dinheiro de campanha. É muito comentado (vide Reinaldo de Azevedo) que em tempo de falta de dinheiro para custear campanhas, o "as seitas e o crime organizado" é que se darão bem.

Eu sei que pouco crente sabe. O sistema de voto que temos hoje para cargos legislativos se chama voto proporcional. Por este sistema, os partidos fazem coligação. A coligação recebe um total de votos - votos em nome dos candidatos + votos na legenda. O total de votos é dividido pelo quociente eleitoral. Esta conta dá o número de candidatos eleitos. Os mais votados na coligação ganham as vagas.

Principal defeito do sistema de voto proporcional: Você vota em um evangélico, e é possível que seu voto vá eleger um ateu. A recíproca também é verdadeira: alguém vota em um ateu e acaba elegendo um evangélico. O que também ocorria: políticos "espertões" chamavam um artista para ser um puxador de votos. Exemplo: O palhaço Tiririca. Com os votos recebidos ele elegeu sozinho outros 2 ou 3 candidatos. O evangélico só se dava bem neste negócio se ele fosse bom de voto. 

Há muitos outros sistemas de voto. Vamos falar de dois o tal distritão e o distrital misto.

O sistema distritão funciona assim: Na eleição para cargos do Legislativo não há coligações; leva a vaga quem tiver mais votos. Se este sistema for o escolhido, é o mais fácil de ser entendido pela população. Para os evangélicos ele, aparentemente, é vantajoso porque o candidato pode receber votos dentro de todo estado ou do município. 

O sistema distrital misto  o eleitor voto duas vezes para cargos do Legislativo. Uma vez no candidato da sua região (distrito) e outra vez em uma  lista fechada elabora pelo partido. 

Se a região tiver muitos candidatos fortes, um evangélico nunca irá ganhar, porque seus votos vêm da minoria da sociedade. Eleitores de outras regiões do estado (distritos) não podem votar nele. Se votarem, o voto vai ser anulado.

Chamo a atenção para outro ponto. Os candidatos escolhidos pelos líderes das Igrejas Evangélicas, mormente, da própria família deles, podem ter problemas. Uma Igreja que elege seus candidatos com os votos de todo estado, agora não terá estes votos. Somente os votos da região (distrito) é que serão válidos. Assim, se o filho/filha do Pastor Presidente não tiver a simpatia dos crentes da região, nunca será eleito(a).

Assim, as Igrejas terão que entrar em acordo nos distritos onde seus candidatos tiverem mais chance de ganhar. Do contrário, qualquer organização com mais jogo de cintura, leva a vaga do legislativo. Então, o que poderia acontecer seriam coligações entre lideranças das igrejas em lugar das coligações entre partidos. As campanhas dentro dos distritos seriam muito mais acirradas. Diria que chegariam ao sistema p2p (porta a porta).

Outra coisa dentro do sistema distrital misto. O candidato malandro que manda no partido, o corrupto, estaria com o nome dentro da lista fechada. Em um país onde a boca de urna é uma prática criminosa tolerada, muitos corruptos poderiam ser eleitos na lista fechada, porque há muita ignorância e pouca informação sobre assuntos políticos na sociedade brasileira.

Sinceramente?

Acho que este assunto de reforma política é só para tapar o sol com a peneira. A corrupção e a vagabundagem de muitos políticos tem se tornado assunto de terceiro plano com esta pauta de reforma que emplacou na mídia. Pessoalmente, na atual circunstância, ainda prefiro o sistema que temos hoje - o de voto proporcional.











quarta-feira, 19 de julho de 2017

PROJETO NACIONAL DE EVANGELIZAÇÃO 2018

.
PARA
A Palavra de Deus
Por: João Cruzué
.
Uma pessoa conhecida nossa presenciou, não faz muito tempo, uma cena lamentável. Achei o assunto oportuno, para uma comentário da situação atual da Igreja Evangélica no Brasil. Se, por acaso, você gostar deste artigo, por favor, faça o seu projeto e passe adiante este texto, sendo que desta vez não precisa colocar meus créditos. Seguinte,  o Brasil precisa de Jesus dentro de cada lar, para iluminar a mente de cada ente na busca de solução urgente para os grandes problemas do cotidiano: problemas de saúde, dependência de drogas, depressão, desemprego, fome, alcoolismo e suicídio. 

Não devemos nos enganar, achando que projetos políticos vai trazer honra para a Igreja e a solução para os problemas do país, porque isto não vai acontecer.  Também não devemos nos iludir, esperando pelo dia em que nosso líder máximo de nossa Igreja vai chegar em nossa congregação com um plano abrangente de evangelização das almas perdidas que se encontram escravizadas pelo diabo. Respeitando as exceções,  pode ser que ele não ache isto prioritário...

Vamos a alguns fatos.

1) Recentemente, sofri a perda de um parente querido. Tive a oportunidade de visitá-lo no Hospital. Eu já havia trabalho seis anos em um deles. Sei muito bem o que esperar de um Hospital público, apesar do empenho da maioria de seus servidores. O que revi ali me deixou muito preocupado. Em poucas palavras, entre a vida de um velho e a de um jovem, dada a falta de quase tudo, os médicos  estão, a contragosto, escolhendo de quem vai viver e, por conseguinte, quem vai morrer.  Na balança das escolhas, os velhos sempre saem perdendo.

2) Na periferia das grandes metrópoles, antes,  era possível ver o povo pentecostal trabalhando em projetos de evangelização: cultos ao ar-livre, visita às comunidades, evangelização de porta-em-porta... . Hoje, excetuando o trabalho dos Testemunhas de Jeová que não mudaram sua metodologia, via de regra, não existe mais  crente evangelizando.  O que tenho presenciado  tem sido a ação "evangelizadora" das facções do tráfico de drogas. O país está literalmente apodrecendo  por falta do sal e da luz  que só Igreja tem. 

Mas como?  se há uma dezena delas em cada Rua? Sim, isto é verdade,  mas o evangelho que pregam fica restrito às quatro paredes. Em lugar do "ide-por-todo-mundo", está sendo praticado o "quem-quiser-venha-aqui-e-beba".

3) Você então poderia questionar-me: E o evangelho neo-pentecostal? Ele não está tão fortemente presente no Rádio e na TV? Sim, ele está. Todavia, Deus me perdoe a franqueza, aquele evangelho, na verdade,  tem funcionado como atividade-meio. A julgar pelo foco e insistência durante os cultos o objetivo dele tem sido a busca incansável por aquilo que está no bolso dos fiéis.  Prove! Sim, eu posso. Outro dia eu vi e ouvi na TV um fulano que se diz Bispo e que se veste de saco, sugerindo aos fiéis que não tivessem dinheiro que fizessem um empréstimo no banco para fazer com ele uma doação pela "fé" para sua igreja. Nisso eu pude ver a ação de um falso profeta, explorando gente desesperada por um milagre de Deus. Não posso racionalizar com um evangelho desses.

Depois de ter dito estas coisas, você pode perguntar para mim: acabou? E eu vou dizer: quase.

4) Lembra do que falei no começo, de que você poderia se decepcionar com a visita do líder maior da Igreja na sua congregação? Então, escute isso. Uma pessoa amiga contou-me que o Pastor Presidente da sua Igreja estava visitando a congregação em um culto de santa ceia. Junto dele, veio parte de sua família. No final da pregação, aquele líder da Igreja começou anunciar  - não um projeto nacional de evangelização para ganhar para Jesus as almas dos que estão perdidas no pasto do diabo, mas a pré-candidatura de um familiar seu a um cargo de representação política. E não foi isso a primeira vez, mas uma de muitas. Evangelizar? ora evangelizar...

5) Para concluir segue este quinto exemplo. Uma jovem médica, da família de uma congregação conhecida, tirou a própria vida, cometendo suicídio. Apesar de médica, bem empregada, ganhando bem, aparentemente, não houve ninguém que ouvisse a voz do Espírito Santo para ir até ela conversar. Ou pior, o Espírito falou, mas a pessoa não foi. Quero acrescentar duas coisas. Segundo soube, ela tinha se afastado da Igreja. E acho eu que  Igreja também havia se afastado dela.  

Assim está a situação atual das grandes Igrejas Evangélicas no Brasil. 

Tenho visto as lideranças de grandes Igrejas focadas na representação política. Está virando rotina grandes Igrejas fundando partidos políticos para se dar bem no poder.  Não condeno aos crentes o exercício da política e aos que não têm chamada ministerial, não vejo problema e concorrer a cargos de representação política. Entretanto, quero lembrar que apesar de tantos pastores em cargos políticos, os hospitais continuam sem recursos financeiros, os velhinhos nas UTIs continuam indo embora para dar chances a uma criança ou a um jovem. Quanto ao evangelho neo-pentecostal ele fermentou, sim,  a ação da Igreja, trocando sua atividade-fim pela atividade-meio. A paixão pelas almas pelo amor ao dinheiro.  Enquanto isso o sistema do tráfico de drogas segue firme "evangelizando" as crianças e jovens periferia das grandes cidades.

Ponto.

Depois de ter dito coisas tão deprimentes, quero dizer que não vim aqui apenas para repetir palavras de desânimo, tal como profeta Elias escondido na caverna. Não! Eu vim para dizer algo especial. Assim como Deus deu três tarefas para Elias vencer o desânimo, este mesmo Deus tem grandes promessas para cada brasileiro. Não vou iludir a mim nem a você esperando ou achando que a partir de hoje cada Pastor que ler este texto irá depois para sua casa, sentar à mesa da cozinha, para desenhar um projeto de evangelização sob a inspiração do Espírito Santo. 

Eu estou aqui para dizer que a solução dos problemas de nossa nação ainda é  Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele, sim,  tem boas novas de perdão, regeneração, salvação, mudança de coração para traficantes, bandidos, crentes desviados, suicidas, pastores falsos-profetas, políticos ladrões e aviõezinhos do tráfico.

Quando isto vai acontecer? Quem irá anunciar estas boas novas aos ouvidos destas almas? Sabe, isto é tarefa para mim e para você. Disse Jesus assim: onde estiver dois ou três reunidos em Meu nome, ali eu também estarei no meio deles. O ano de 2018, assim como o ano de 2017, é o ano aceitável da misericórdia de Deus. 

Se eu e você tivermos consciência disso, podemos começar a fazer a obra de Deus ainda esta semana.  Um projeto de evangelização começa  quando alguém dá lugar à voz do Espírito Santo que pergunta: Quem enviaremos, e quem há de ir por Nós?  Acredito muito no poder de uma conversa durante uma visita a uma ovelha desviada, uma vista a um doente no hospital. Oportunidades há muitas, basta começar com apenas uma por semana e manter a disciplina. Isto faz parte de um Projeto Nacional de Evangelização. Se você orar, se você interceder, o Espírito Santo vai lhe ajudar a decidir sobre o que fazer e quando fazer.

O que você vai ganhar com isto? Eu posso dizer com certeza que quando o Espírito de Deus vê em seu coração o que está disposto a fazer, ele vai se alegrar. E quando Ele se alegra, o coração de quem Lhe dá lugar também se enche de grande alegria.  Peço que faça seu projeto, trabalhe nele toda semana, e passe o assunto adiante para mais 2 crentes amigos.

cruzue@gmail.com 










sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Pastor Silas Malafaia apoia a Lava Jato e diz que não é bandido



João Cruzué


Por qual razão o Pr. Silas Malafaia foi "convidado" a depor na Lava Jato sobre dinheiro de oferta, é a pergunta de todo mundo. Eu não tenho resposta,  senão outras perguntas.

Na TV Globo apareceu a notícia do suposto malfeito, mas não foi dado a oportunidade do Pastor se explicar. No Jornal da Record das 22:00 horas, os jornalistas foram mais responsáveis: falaram da condução coercitiva do Pastor Silas, mas lhe deram o microfone e câmera para expor sua indignação.

Para quem já vive chamando qualquer pastor de ladrão, não vai haver nenhuma diferença, ou melhor, agora é que vão xingar mais. Mas para quem ouviu o que o pastor disse, pode ver uma coisa, ele ficou fulo da vida com a exposição da sua imagem.

Eu tenho certeza de que o Pastor não é um vagabundo corrupto. Mas alguém estava e está com muita sede de "queimar" o filme da sua imagem e da sua credibilidade.

Em breve nós vamos ficar sabendo, aliás, olhando o tempo de publicação da notícia nos três endereços da Internet da figura acima, você já pode ter uma razoável certeza...

A primeira publicação foi feita 6 horas atrás; a segunda, há 5 horas e a 3 ª,  há 21 minutos apenas. A diferença de tempo foi muito grande!










domingo, 3 de abril de 2016

Um outono sombrio para o Brasil

.
João Cruzué
.
Estamos em abril de 2016. Pela tarde fui até a banca de jornal para comprar a Revista Veja; costume de mais de 10 anos. Voltei  e fui fazer poucas coisas, pois hoje é sábado e devo descansar. O tempo está seco e faz calor lá fora. Eram 21:16 quando abri a Bíblia para ler uma palavra de Deus, terminei o texto agora, às 23:29. A página que se abriu na Bíblia foi exatamente no capítulo primeiro, do livro do Profeta Oseias. "E disse, pois, o SENHOR a Oseias: Vai e toma uma mulher de prostituições e filhos de prostituição; porque a a terra se prostituiu, desviando-se do SENHOR". Este assunto fez-me voltar à mente um pensamento que tive ontem. E se isto que está acontecendo, hoje no Brasil, for apenas o começo das dores de um período longo de infortúnios econômicos, políticos e sociais? Nós brasileiros somos um povo acostumado a levar a vida com bom humor, zombando e fazendo graça das circunstâncias do cotidiano, mas, sinceramente estou começando a ficar preocupado com a rapidez com que as coisas estão ficando instáveis.

Quem for ler os jornais de hoje, vai ver que os Bancos brasileiros estão preocupados com o tamanho da dívida do Grupo Odebrecht. Eles já estão revendo suas posições de perdas, reservando vários bilhões para fazer face a um calote gigantesco. 

O perigo financeiro não vem da roubalheira institucionalizada que tomou conta do Brasil nos últimos 16 anos. Isto é apenas a consequência da falta de controle das autoridades responsáveis. E quando isto é a causa é preciso uma resposta muito rápida. Por volta do ano 2000, um grande escândalo explodiu  na contabilidade das grandes empresas americanas (Xerox, Wordcom, Enron...). Bilhões de vendas de faz de contas estavam sendo contabilizadas, para forjar grandes lucros contábeis nos Balanços. Grandes lucros mantinham os bolsos de seus Administradores cheios de dinheiro proveniente de bônus. Poucas vendas = > poucos lucros => poucos bônus! Para não perder os bônus, forjavam-se grandes vendas, só no papel.

Quando os grandes investidores (Fundos de pensão, multibiliardários árabes...) perceberam que seu capital estava aplicado em empresas que não possuíam o mínimo controle, começou uma fuga de capital. O valor das patrimonial das empresas americanas começou a derreter rapidamente. Ninguém era louco de deixar seu dinheiro em um lugar tão mal governado. Daí, abreviadamente, o Governo americano sacou da gaveta um um projeto de lei que estava mofando há pelo menos 10 anos. Mesmo desatualizada, a Lei Sarbanes-Oxley foi sancionada com seus 1.107 artigos. Se esta resposta não fosse dada com muita rapidez, teria acontecido o maior desastre econômico do mundo nos Estados Unidos. O que aconteceu com a Petrobrás, aqui, foi evitado lá. A perda patrimonial por falta de controle, ou de governança, como se diz tecnicamente.

Vou exemplificar o que acontece, quando os efeitos do descontrole e a desordem atingem as finanças de uma empresa. Não existe pior exemplo disso no mundo dos negócios do que o ocorrido com a Petrobrás, sob a (in)gerência de Dona Dilma Rousseff .

Em 21 de maio de 2008, ainda sob o governo do Presidente Lula, a Petrobrás atingiu seu maior valor de mercado - R$ 510,4 bilhões de reais. Pela cotação do dólar do dia, (R$ 1,659), seu valor patrimonial em moeda americana era de 307,655 bilhões de dólares. 

Em 07 de março de 2015, a jornalista Gabriela Mello  do Jornal Estadão publicou um artigo onde mostra que a Petrobras levou um enorme tombo patrimonial. O artigo diz que o valor da Petrobrás em 04 de março de 2016 caiu para 30,849 bilhões de dólares. 

Fazendo as contas: Se ela valia 307,655 bilhões de dólares em maio de 2008 e e 30,849 bilhões em março de 2016, então esta queda patrimonial foi de  276,806 bilhões de dólares. 

Traduzindo: Se em 2008 você tivesse 1.000,00 reais e decidisse aplicar tudo em ações da  Petrobras, e em 04 de março de 2016 você fosse vender as ações, você receberia apenas 100 reais. A metade disso pode ser considerada como perda de valor pela queda o preço do barril do petróleo, mas a outra metade foi simplesmente desgoverno.

Quando grandes investidores descobrem que uma quadrilha de raposas foram colocadas para tomar conta do galinheiro, eles retiram seu dinheiro o mais rápido que puder.

Só que a Petrobrás é apenas um de milhares de "galinheiros" que estão sob a administração de raposas no Brasil. No rastro da Petrobrás, estão caindo as grandes empreiteiras brasileiras, Bancos, Construtoras, etc. A Odebrecht, por exemplo, é um caso estupefaciente. Ela deve hoje a "ninharia" de 100 bilhões de reais, segundo a blogueira Natuza Nery em artigo recente na Folha de São Paulo.  Deste valor, os Bancos brasileiros são credores de  R$ 35 bilhões. Sobrou para os Bancos. 

--Caro blogueiro cristão, o que tem a ver estes números com o Livro do Profeta Oseias? 

Eu já vou responder.

De acordo com o pensamento que veio à minha mente. Quando as empresas ficam muito endividadas, elas perdem a sustentabilidade nos negócios. Deixam e contratar, e começam a desempregar. 

Quantas grandes empresas brasileiras você pensa que estão desempregando ou deixando de contratar no presente momento? Não me arriscaria a dizer, mas o acompanhamento do desemprego no CAGED está trazendo um frio na barriga dos Economistas.

Quando o desemprego aumenta, as vendas caem. Quando as vendas caem, os governos (União, Estados, DF e Municípios) arrecadam menos impostos, mas se esquecem de cortar os gastos. Assim começa um ciclo vicioso, com a Economia do país descendo a ladeira. 

As Igrejas serão as primeiras a sofrer o impacto do desemprego.

Um fator ainda pior vem juntar-se à a situação econômica ruim. Pela primeira vez, depois de 54 anos, temos uma situação política com potencial explosivo para conflitos sociais no Brasil. 

Há uma Presidente que não governa. Com receio de ser apeada do poder, pede socorro ao seu mentor e aos movimentos radicais e sindicatos de esquerda que cresceram sugando as tetas dos cofres públicos. O Brasil pode ir inteiro protestar nas ruas contra, todavia, o Governo atual da Presidente Dilma não vai ouvir nem recuar um milímetro. 

A Presidente e os que dão sustentação a seu governo já decidiram que ou ficam ou ficam; que se danem os que não estão com eles. Com a desculpa de que outros também roubam, não aceitam entregar o poder, mesmo sendo responsáveis por terem quebrado a Petrobrás e as outras empresas que estão a caminho do brejo. Há um grave risco de estouro da inflação e que falte mercadorias para comprar nos supermercados. Se houver conflitos nas ruas, a primeira coisa que vai acontecer são os saques em estabelecimentos comerciais. Descontrole + conflitos não são coisas fáceis de se entender.

Diante destas circunstâncias, há dois tipos de previsão. A legalidade vai prevalecer e o governo atual vai entregar o poder. A outra saída para o imbroglio em o Brasil está encalacrado seria o evento de eleições majoritárias ainda em 2016. Este seria o caminho pacífico.

Todavia, se em lugar da paz, Deus permitir que haja uma ação de poderosos anjos malignos ávidos para insuflar o ódio e a loucura no coração da sociedade - e aí? Bem, infelizmente, isto já aconteceu no passado, inclusive, em países de credo evangélico.

Já pensou se o SENHOR, neste momento, quando olha para o Brasil e vê aqui a mesma situação que acontecia no reino de Israel, nos dias da chamada do Profeta Oseias? 

Diga-me com sinceridade: Como você  vê, hoje,  a atitude das  grandes lideranças das Igrejas Evangélicas no Brasil? Você acha que elas estão preocupadas com evangelização, missões e fazer a vontade do SENHOR?  Ou desconfia  que elas estão mais ocupadas com projetos políticos, econômicos ou de perpetuação no poder? Hã?

É por isso que estou receoso. A semelhança do que aconteceu em 11 de setembro de 2001 no Estados Unidos, também não pe impossível que DEUS permita algo ruim aqui, para fazer com que seu NOME seja honrado e glorificado e não desprezado pelos ímpios e descrentes, por causa do mau testemunho daqueles que deveriam ser santos. 

De todo coração não desejo que este mal venha bater a nossa porta e nos tirar a paz. 

Por isso, vou orar mais e rogar a misericórdia do SENHOR, para que livre nossa nação dos planos do diabo.

Louvado seja o nome do SENHOR!




Comentários: eu também aceito críticas, desde que não sejam anônimas.





domingo, 27 de março de 2016

Igreja Evangélica, Política e Lava Jato

.
Dilma, antes da delação do Grupo Odebrecht
Por: João Cruzué
.
O Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, Sr. Eduardo Paes, criticou, em conversa recente com o ex-presidente Lula, os agentes da Polícia Federal e os Procuradores do Ministério Público que atuam em Curitiba na Operação Lava Jato. Quando Lula disse que "... esses meninos da Polícia Federal e esses meninos do Ministério Público, eles se sentem enviados por Deus, o Prefeito complementou: "É, mas eles são todos crentes. Os caras do Ministério Público são crentes,né?" Dentro deste contexto, gostaria de deixar algumas considerações e minha opinião sobre o desenrolar dos próximos acontecimentos. Não se trata de profecia ou julgamentos, mas do simples uso da minha intuição de crente em Jesus.

Tenho para mim que, quando o  ex-presidente Lula disse: "Estes meninos se sentem enviados por Deus", ele  estava desdenhando da religião do Procurador Deltan Dallagnol, que frequenta a  que frequenta a Igreja Batista do Bacacheri [bairro que conheço pessoalmente], em Curitiba. O pai do Procurador também era do Ministério Público. Ele e a Polícia Federal estavam e estão determinados a por na cadeia um bando de empreiteiros e políticos que vêm dilapidando os recursos públicos do país em benefício próprio.

Também tenho para mim também que, quando o prefeito do Rio comentou tal frase, ele pontuou que  "Eles são todos crentes, os caras do Ministério Público são crentes", também estava desdenhando dos crentes, com indiretas ao Procurador Deltan Dallagnol.

O ex-presidente quando generalizou: "..Esses meninos... E o prefeito também generalizou quando disse: "Eles são todos crentes" revelaram o velho preconceito contra os evangélicos. É público e notório o que o ex-presidente Lula pensa a respeito dos Pastores Evangélicos, notadamente quanto a colocar a culpa no diabo por todas as coisas ruins que acontece na vida dos fiéis e também sobre o recebimento dos dízimos. Quando ele precisa destes pastores, ele os mima; quando não precisa, os coloca no mesmo saco de farinha do seu partido, por causa do mal testemunho de alguns deles.

De 2002 até 2009, boa parte das lideranças evangélicas se "enamoraram" com o canto da sereia do ex-presidente Lula, porque estavam cansados da política velha, ostensivamente, desprezadora de crentes, e arriscaram a sorte no "novo". E como o "novo" ganhou, trazendo um discurso de proteção aos mais necessitados do país, não foi possível com nitidez o que estava no fundo da caixa d'água: politicas pró-abortistas, ativismo gay, lei da palmada, projeto 122 - a mordaça gay, casamento gay, discurso difamatório de desconstrução da Igreja Evangélica, rótulo de ladrões aos Pastores, projetos de retirada de imunidade tributária das Igrejas, um sufoco tremendo.

De 2002 a 2015, sem dúvida, foi o período que a Igreja Evangélica no Brasil mais sofreu com o processo de secularização, devido a sua intromissão sem limites na representação política. O sagrado se uniu ao profano e sofreu um dano irreparável. Consciências foram compradas e Igrejas foram "vendidas". Basta uma pesquisa criteriosa nos bancos de dados digitais nos anos de eleição, para que tudo que está dito seja comprovado. Nunca tivemos tanta representação evangélica no Congresso, e paradoxalmente, em nenhum outro período as ideologias ateias e comunistas avançaram tanto sobre a família brasileira. O PL 122 foi como um boi de piranha. Enquanto as atenções ficaram focadas nele, passaram o casamento gay, a mudança de interpretação do conceito de família no STF, e mais coisas.

Da mesma forma que o ex-presidente Lula e o prefeito Paes disseram, também é necessário que a Igreja Evangélica de hoje, copie o testemunho fundamentalista dos "meninos da Polícia Federal e dos meninos do Ministério Público" ligados à Operação Lava Jato. Mais fundamentalismo bíblico e menos projetos políticos. O princípio da não aceitação do jugo desigual foi quebrado por muitos líderes evangélicos, mas o ESPÍRITO SANTO DO SENHOR JEOVÁ não o revogou. O fundamentalismo evangélico esfriou. Não me canso de escrever, que hoje há mais ação e arregimentação de jovens nas periferias das grandes cidades por organizações criminosas ligadas ao tráfico de drogas, do que crentes pregando o Evangelho. A Igreja elitizou-se, abandonou as favelas, e Missões deixou de ser prioridade, para ser apenas um artigo de presunção e propaganda.

A ganância religiosa está tão desavergonhada, que fiquei pasmo ao ouvir um dos mais novos líderes evangélicos, no canal RGI, dizendo mais ou menso isso: Preciso de um x número de pessoas que deem uma oferta de R$ 2.000,00. Se você não tem, pega um empréstimo consignado e traga o dinheiro para a "Igreja".  Não foi outros que me disseram, eu ouvi, pessoalmente. Nos últimos 30 anos, uma boa parte do se diz Igreja Evangélica apodreceu muito depressa, a ponto de isto me assustar. E onde isto começou? Bom, em algum lugar de 1990 para cá, alguém trocou o Espírito Santo por fama, TV e dinheiro. Mais ou menos as mesmas coisas que Jesus Cristo recusou do diabo na tentação.

E quanto ao momento político atual, é preciso muita oração e atenção com os gastos familiares. Estamos a poucos dias da colaboração premiada do ex-presidente do Grupo Odebrecht, Sr. Marcelo Odebrecht. Quando ele abrir a boca, provavelmente, vai ligar o dinheiro sujo da corrupção com a campanha política de 2014 da atual Senhora Presidente. Assim que isto acontecer, o TSE vai abrir um processo para cassar a chapa Dilma-Temer. A lista da Odebrecht pode sujar a campanha de centenas de políticos, inclusive, evangélicos.

Depois da cassação da chapa, novas eleições vão ser marcadas ainda para este ano. Neste cenário político novos personagens políticos devem aparecer. Temos que orar muito, para que não aconteça aqui o que aconteceu na Venezuela. O povo estava tão cansado de corrupção que elegeu um militar para Presidente. Esse Militar era Hugo Chaves, o que estava ruim, ficou ainda pior.

Não creio que tenhamos impeachment, pois é provável que o TSE casse  a chapa Dilma-Temer por usar dinheiro sujo na campanha de 2014. Por outro lado, devemos orar muito mais para que não aconteça aqui uma venezuelização do país. Se o cenário fugir do previsível, as coisa piorarem e houver confronto nas ruas, a Economia vai piorar, a inflação vai subir, o desemprego vai aumentar, e só Jesus para ter misericórdia.

Diante disso, oração apenas não basta. Também é preciso muito jejum, para que Jesus tenha misericórdia de nosso país, e dos crentes que foram levados por alguns pastores e bispos a votarem em um jararaca que foi acolhida e ajudada dentro da Igreja Católica*



*Tese de doutorado: [OLIVEIRA - UFRRJ, 2010 - fl.8 , PDF pg 45]

* Livro "Como uma Família COMEFORD, J. C. - Introdução pg. 15]